Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Blind

 

Ocorreu-me assim de repente a propósito desta história infeliz.

 

Se tudo correr bem e de acordo com a Lei de Moore, os discos continuarão a ficar cada vez mais baratos certo?

Não é de todo utópico imaginar que um disco rígido de 2TB custe uns 50 € no final de 2012, princípios de 2013.


Assim sendo e considerando que a taxa é de 0,02 € por GB, podemos ter em breve uma situação sui generis.

 

Um disco pode custar 50€ e ter uma taxa de mais 50€.

Isto é idiota sob tantos pontos de vista. Atribuir um valor fixo por GB conhecendo a Lei de Moore é revelador de uma inépcia total para legislar seja o que for. É digno de verdadeiros mentecaptos.

 

Update: sobre a queda dos preços dos discos, via @pedroleite

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Ricardo Perna a 06.01.2012 às 09:57

Bom, vamos lá fazer contas como deve ser, para não nos enganarmos: esta lei parva "apenas" se aplica da forma que está colocada neste post em relação aos discos multimédia, que pagam uma taxa de 0,06€ por cada GB, sem limite. Isto fará com que um disco externo multimédia de 2TB veja acrescido o seu preço em 120€, o que poderá duplicar o seu valor.

Para todos os outros suportes, os valores são bem diferentes: 1 disco externo "normal" de 2TB pagará "apenas" 25€ a mais, já que são 0,02€ até 1TB e 0,005€ a partir de 1TB.

O mesmo com os outros formatos todos. Falta aqui referir os telemóveis: um iPhone de 32Gb ou iPad de 32Gb vai acrescer 16€ ao seu preço já de si tão baratinho.... :)

E será que não há nada que se possa fazer para evitar esta vergonha?
Imagem de perfil

De Eduardo a 06.01.2012 às 10:37

A reação mais óbvia será a compra de discos num país europeu onde não exista a taxa.
E no final do dia, os artistas acabarão por não receber nada já que ninguém irá comprar deste material em Portugal.
Sem imagem de perfil

De Daniel a 07.01.2012 às 13:21

Então não há? E é tão barata a solução! Os custos são uma bala na cabeça de cada deputado na assembleia da Republica, e uma carga de explosivos na sede de cada partido, e pronto!
Sem imagem de perfil

De Marco Neves a 06.01.2012 às 10:29

E achas que isso é o mais ridículo ? Pensa nos discos que irão custar 100 euros em 5 anos. Que capacidade vão ter? 5TB ? 10TB?

Vamos assumir os 5TB , vamos que vais quase de certeza ser ultrapassado em 5 anos. Estes discos, quando tiverem um custo de 100 euros, vão pagar de imposto 120 euros.

Quando um disco de 10 TB custar 100 euros, vai pagar de imposto 250 euros.

Esta lei está, ao definir um valor por GB completamente descontextualizada da evolução técnica a que temos assistido ao longo das últimas décadas, e a que vamos continuar a assistir ao longo dos próximos anos.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Perna a 06.01.2012 às 11:39

Eduardo, o problema é que muitas pessoas não esão habituadas a fazer compras online. Logo, irão continuar a comprar aqui, pagando o imposto... na maioria dos casos, é isso que vai acontecer.

Marco, atenção que essas contas só são válidas para os discos externos multimédia, e nesse caso serão ainda superiores, já que um disco de 10TB terá de pagar 600€ de imposto.... :) ridículo, de facto. No caso dos discos externos "tradicionais", um disco de 10TB teria de pagar 70€ de imposto "apenas", e reforço as aspas, porque é dinheiro a mais na mesma.

Isto é um incentivo à pirataria clara. Se eu já paguei direitos de autor para ter no meu disco externo conteúdos passíveis de pagar direitos de autor, quer dizer que os posso ter... logo, posso fazer os downloads que entender e ninguém me pode prender por isso, porque já paguei direitos de autor sobre eles...
Imagem de perfil

De Eduardo a 06.01.2012 às 19:37

Ricardo, o cliente típico dos discos rígidos externos embora na sua maioria compre em Portugal, certamente será capaz de começar a comprar no estrangeiro. É tudo uma questão de incentivo (leia-se preço).

Se chegarmos ao absurdo de o preço ser o dobro do que custaria mandando vir de outro país europeu, tenho a certeza que haverá incentivo suficiente para que tal aconteça.
Sem imagem de perfil

De Wlad a 29.08.2012 às 04:35

Um pequena observação.
A lei de Moore é sobre o número de transístores em circuitos integrados. A lei em questão é a Lei de Kryder, que é sobre os discos duros (http://en.wikipedia.org/wiki/Mark_Kryder)

Uma pequena confusão que em nada tira o valor à argumentação, sobretudo quando os SSD estão já a entrar em grande.

Cmpts.

Wla

Comentar post








Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D