Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ah! Esse fabuloso verbo "dedurar". Aprendi-o num dos milhares de livros de Tio Patinhas que fui lendo entre dentadas no pão com manteiga e açúcar; regado com limonada, claro.

Tenho estado a cogitar num artigo sobre essa nobre arte portuguesa a propósito, claro, da lei do tabaco. Mas depois de ler isto, já não vale a pena. Está lá tudo. E está muito bem. Até a foto do chibo.

E ao primeiro que se chibar de mim, incendeio-lhe as barbas e dou-lhe com a tampa da sanita nos cornos.

PS. Um destes emoticons do SAPO tem um batráquio a fumar. Isso será legal? Dedurem-no!

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De André a 25.01.2008 às 09:51

Eu vejo um termómetro... :)
Imagem de perfil

De Eduardo a 25.01.2008 às 10:19

És bem capaz de ter razão. Mas já não é a primeira vez que estes ícones geram interpretações diferentes.

Por exemplo aquela perna de frango já foi tomada como sendo uma lâmpada.

E há aquele que tem um cachecol azul e branco e que eu confundo sempre com o da caveira :P
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 25.01.2008 às 16:01

Correndo o risco de ser mal interpretado, eu sempre pensei que a verdadeira arte tuga era o da infracção com impunidade (impostos, trânsito, burlas diversas, cunhas, etc etc).

E a cena do "fodo-te os cornos se te chibares" é sem dúvida patenteada por um tuga :D
Imagem de perfil

De Eduardo a 25.01.2008 às 16:14

Certamente. A questão é que ao mesmo tempo que é chico esperto e tenta safar-se impune, é o primeiro a chibar o vizinho.

De novo, as estradas são o melhor exemplo disto. Estou sempre a ver o chico esperto que vai a ultrapassar 20 ou 30 numa fila seguindo pela berma. Mas quando entra na via é o primeiro a chegar-se à frente para ENTALAR os outros prevaricadores.
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 26.01.2008 às 11:26

E tu estás a perpetuar isso :)

Na Suíça, se deitas o lixo doméstico no contentor sem usar os sacos decretados para esse efeito alguém se chiba de ti à policia. E vais ser punido por isso.

Não é muito bonito de facto. Ninguem gosta de chibos.
Mas se tu próprio estás a dizer que não cumpres... Não abona muito a teu favor.

Muitos outros haverão que não cumprem, e provavelmente serão mais incómodos do que tu. E o que se faz com esses? Baixa-se a cabeça e deixamos os infancia-dificeis curtir a sua rebeldia? Quem está mal que se mude.

Isso, meu amigo, é a definição de ser português.

E o melhor exemplo é o livro de reclamações, que practicamente ninguem usa em Portugal. Mandam-se umas bocas em voz alta ao empregado, fazem-se trombas e diz-se "nunca mais como aqui".

E assim se perpetua a impunidade.
Imagem de perfil

De Eduardo a 26.01.2008 às 12:09

Espera lá. Estás a passar ao lado da verdadeira questão.

Se alguém faz algo que me prejudique a mim ou aos meus, certamente que reajo. E se não fôr a bem, também sei chamar a polícia.

A grande diferença é que o CHIBO é mesquinho. Chiba-se pela sensação de poder que isso lhe dá. Chiba-se de algo que não o incomoda minimamente. Só porque sabe que é ilegal.

O chibo é o Joaquim que vai a passar na rua e que chamou a polícia porque viu que alguém estava a fumar à janela da casa de banho do café da vila.
E meu caro, ao Joaquim, atiro-lhe uma tampa de sanita aos cornos.

E agora perguntas. Mas porque nao cumprimos todos escrupulosamente as regras?

Simples: porque tenho o direito de não concordar com elas. Eu não precisava de lei nenhuma para não fumar em locais onde estivesse a prejudicar alguém.

E esse conceito não é tão subjectivo assim. Não aceito as regras que me impõem sem uma análise crítica antes. Antes da lei, está a minha consciência.

Finalmente a questão da reclamação.

Tenho mesmo pena que tenhas misturado tanto conceito. É que eu concordo contigo quanto à reclamação e a impunidade.

Se eu fôr mal servido, devo reclamar claro! É algo que felizmente os portugueses estão a aprender cada vez mais. Pena que a reclamação caia quase sempre em saco roto. Ninguém te diz se ela teve algum efeito concreto ou não.

Mas já que misturaste as duas coisas, devo presumir que vais pedir o livro de reclamações sempre que encontres uma beata junto à janela da casa de banho? Qual será o argumento? Só se fôr poluição visual. Aí concordo :P

Cheers
Sem imagem de perfil

De Edson Medina a 27.01.2008 às 17:26

Hihihih, podias ter dito que o cenário era o fumo às escondidas na janela do WC.

Sendo assim, dá-lhe com a tampa de sanita :D

Imagem de perfil

De rais parta ó miúdo! a 29.01.2008 às 12:00

E se for num bordel, o que se diz?

Comentar post








Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D